Hoje ele saiu com o pai dele, foi a uma reunião de trabalho e cortou o cabelo. Cortou de um jeito que não foi o que eu escolhi… Ele não consegue esconder que está super feliz e se sentindo lindo. Ele é super lindo e eu preciso respeitar as escolhas dele… e de repente a ficha caiu: isso não é mais sobre mim.

Parece bobagem, mas inicialmente me senti desrespeitada quando vi a foto dele que o pai me enviou… e em duas horas me dei conta de que não tinha o direito de fazê-lo se sentir mal por uma escolha simples. E me fez perceber que nessa bobagem eu poderia começar a quebrar o diálogo aberto que temos. E que lindo ter o Leandro pra dividir isso tudo.

Pela primeira vez eu tive contato com a necessidade de me controlar pra não invadir um espaço que aos poucos vai deixando de ser minha responsabilidade. Aos poucos começo a identificar as necessidades que ele mesmo já pode dar conta.

Exercicio diário e pra sempre: ele é lindo, eu gerei, mas não é um pedaço de mim… não é minha propriedade.

Parece óbvio, mas precisa repetir feito mantra pra gente não esquecer que filho é pessoa, e em breve vai ser autônomo, e a mim, cabe orientá-lo, corrigí-lo e muitos momentos, definir caminhos (por enquanto) para sua vida e dar espaços para que aprenda e se sinta seguro pra caminhar sozinho. Parece óbvio, mas é importante entender:
Ele não é um pedaço de mim.

Categorias: Sem categoria

1 comentário

billiga fotbollströjor · 8 de setembro de 2018 às 02:10

I appreciate browsing your web site. Cheers!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *